11 de nov de 2011

Mal secreto


Img da net

 Se a cólera que espuma, a dor que mora
N'alma, e destrói cada ilusão que nasce,
Tudo o que punge, tudo o que devora
O coração, no rosto se estampasse;

Se se pudesse o espírito que chora,
Ver através da máscara da face,
Quanta gente, talvez, que inveja agora
Nos causa, então piedade nos causasse!

Quanta gente que ri, talvez, consigo
Guarda um atroz, recôndito inimigo,
Como invisível chaga cancerosa!

Quanta gente que ri, talvez existe,
Cuja ventura única consiste
Em parecer aos outros venturosa.

(Raimundo Correia)
********

Mais uma dos tempos da escola.
Soneto parnasiano, uma aula intereira fazendo analíse do texto,
ou pelo menos tentando...rsrsrs
E depois sonhando com as belas palavras do autor...
suspiros, suspiros...e saudades...
Um lindo e maravilhoso dia de sorrisos sinceros.

Bjim meus amores
e um findi semana mega colorido.

17 comentários:

  1. OI ALICE
    QUE SONETO VERDADEIRO,PENSO QUE SE PUDÉSSEMOS VER AS PESSOAS COMO ELAS SÃO REALMENTE,
    SEM MASCARAS, SERIA MAIS FÁCIL ESCOLHER,AMIGOS..COLEGAS..MARIDO ETC.
    TE DESEJO UM FIM DE SEMANA SERENO.

    BACI

    ResponderExcluir
  2. Momentos nostálgicos Alice, Um lindo e iluminado final de semana querida!!!

    ResponderExcluir
  3. Lindo e bem escolhido soneto!beijos,chica, ótimo fds!

    ResponderExcluir
  4. Imagino essa análise Alice...rsrs.
    Os suspiros, com certeza aconteceu cá comigo, um soneto lindo demais.
    Tem postado sempre algo gostoso de se ler, amo.
    Beijos de uma deliciosa noite.

    ResponderExcluir
  5. Esse soneto é muito verdadeiro.
    Que bom seria se todos vivessem sem máscaras.
    Abraços! Um final de semana abençoado pra ti.

    ResponderExcluir
  6. Oi amada que especial é esse soneto fala de muitas pessoas que se preocupam em enganar aos outros mas pobres, nem sabem o quanto se enganam e perdem a própria essência e a beleza da vida. Não me preocupo com as máscaras dos outros, sinto que é uma péssima escolha e tantos que se enredam nisso, me preocupo em ser o mais transparente possível pois só assim estarei vivendo plenamente e não perdendo tempo, hehee, me emocionei com o poema,mas é o meu recado, um findi perfeito para vc amiga que eu gosto tanto, bjão.

    ResponderExcluir
  7. Oi Alice, tudo bem?
    Vim aqui retribuir a visita e o carinho!Estou te seguindo.
    Participe do sorteio de um kit craft lá no meu cantinho....quem sabe vc não ganhe?
    Um beijão
    Mª Rita(Janelas e Caminhos)

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pela visita em meu blog, vim retribuir e ficar. Adorei seu blog e ja estou te seguindo
    bjs e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  9. Alice, amiga!

    Lindo o soneto.
    Quanta verdade está nestes versos...

    Tenha um dia lindo, cheinho de felicidade!
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  10. olá minha doce amiga cheia de cores que alegram meu caminho... saudades de ti... voltando devagarzinho. Lindo soneto, forte e verdadeiro...
    Passando hoje pra deixar uma beijoka e o desejo de um ótimo feriadão...
    Obrigada pelo seu carinho na minha ausência.

    Su.

    ResponderExcluir
  11. Deu até saudades deste tempo bom!!!

    Saudades de tantos amigos!!! Tantas coisas do tempo de escola... huuuu...saudades, coisa boa este sentimento, quando é de algo bom...

    Beijos, adorei vc lá em casa, beijos...

    ResponderExcluir
  12. Ah...sei bem o que é esta análise,já passei por isso.
    Este poema me traz também muitas lembranças!
    bjos,boa semana,com muitas alegrias.

    ResponderExcluir
  13. Eu amava de paixão minhas aulas de literatura. Sempre tive bons professores, lembro deles até hoje. Tenha uma linda semana. Bj grande minha flor.

    ResponderExcluir
  14. Minha 1ª visita:

    Foi um prazer!

    Saudações poéticas.

    ResponderExcluir
  15. Belo soneto...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  16. Que bonito texto, que bom é ler e se inspirar!
    Abraços!

    ResponderExcluir