20 de fev de 2012

Mãos dadas


Não serei o poeta de um mundo caduco.
Tambem não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Esão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tao grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história
Não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela.
Não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida.
Não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é minha matéria,
o tempo presente,
os homens presentes,
a vida presente.

(Drummond)

6 comentários:

  1. Muito lindo!!!beijos,tudo de bom,ótima semana!chica

    ResponderExcluir
  2. Tempo presente / homens presentes / vida presente... ler Drummond é ler nossa realidade de vida! Bela escolha a sua!
    Abraço da Célia.

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso Drummond, e seu click... belíssimo!

    Linda poesia!

    Que você tenha descansado bem nesses dias de carnaval... tão bom ficar em casa em curtir mais a família... Adoro esses dias!

    Beijinhos.

    Su.

    ResponderExcluir
  4. Minha querida!
    Lindo! lindo! Drummond é tudo de bom.
    Boa escolha... Delícia lê-lo!
    Abraços!Tudo de bom pra ti.

    ResponderExcluir
  5. Querida.
    Belissimo poema escolhestes para sua postagem.
    Como vou ter um final de semana corrido demais
    estou passando bem mais cedo para desejar um feliz final de semana.
    O meu espero em Deus ser divinamente lino na sexta feira se casa meu neto .
    Ufa loga serei bisa que benção divina!! .
    Meu carinho .
    Evanir.

    ResponderExcluir
  6. Lindo texto Alice, Drummond é maravilhoso, mas a imagem me encantou. Beijos linda!

    ResponderExcluir